Do embarque – parte I

Resolvi colocar esse post em duas partes porque a estória do meu vôo foi loooonga!

Como eu havia falado no post anterior mal, cheguei à Big Apple e já estava cheias de estórias prá contar. Meu vôo estava previsto para o dia 06 de junho as 20h50. Como era véspera de feriadão eu madruguei no Galeão, com medo do trânsito da Ilha que para quem não conhece o Rio de Janeiro é um bairro que tem uma entrada e uma saída, e tem engarrafamentos todo o santo dia, com véspera de feriado fica pior ainda. Prevenida como sou,  resolvi chegar cedo e minha amigas também e ficamos horas batendo papo no aeroporto.

Fizemos o check in bem cedo e como Murphy me ama, na hora do meu check in tive que ir correndo trocar meu bilhete, por que a anta que vos escreve colocou uma letra a mais no próprio sobrenome na hora da compra e escreveu COSATA ao invés de Costa! Vi o erro no ato da compra mais achei q depois pudesse alterar, e para minha surpresa não consegui! Antes da viagem fui numa loja da AA e nem a vendedora conseguiu corrigir meu nome, eles não têm autorização para alterar nomes nos bilhetes para evitar fraudes e me disse prá tentar mudar no check in para não ter problemas na hora de voltar, e o resultado? Tive q ir lá para reemitir outro bilhete!

Passado o susto fui prá sala de embarque e ai toda aquela burocracia de aeroporto da Policia Federal, passa pelo raio-x, pega papelzinho da imigração, declarar bens, preenche os formulários e etc. Estávamos minhas amigas e eu na maior descontração quando por volta das 20h30 o funcionário da empresa diz que o vôo atrasaria e que a previsão de embarque era de 50’. Conversa vai, conversa vem outro anúncio de prazo para as 22h45 daí o povo começou a se alterar, arrumar confusão e eu e minhas amigas tranquilas morrendo de rir de tudo, e as pessoas nos olhando de cara feia.

Quando deu 22h30 tivemos o anúncio de que o vôo seria cancelado para o dia seguinte às 11h da manhã, ai meus caros imagina a confusão? Para completar não nos permitiram pegar nossas malas. E nos levaram prá um hotel cinco estrelas chiquetosérrimo na praia de Copacabana. Eu lá com a roupa do corpo e minha bolsa resolvi esquecer tudo e aproveitar o lugar, suíte de frente pro mar imensa cheia de frescura e ainda comi carpaccio de salmão e camarão! Quem me conhece sabe que procuro ver tudo pelo lado bom.

Deixe uma resposta